terça-feira, 24 de julho de 2018

DO INFERNO

1888. Outono. Londres. Prostitutas são abatidas e evisceradas pelo primeiro serial killer da História, a quem a Imprensa apelidou de "Jack, o Estripador". O que poderia ser mais um enredo de história policial se transforma nas mãos do roteirista Alan Moore, e do desenhista Eddie Campbell, numa forma de desmascaramento do domínio masculino, patriarcal, sobre o feminino, matrilinear. Segundo a versão de Moore, Jack, o estripador, é um famoso médico da corte inglesa, do final do século XIX, William Gull, o terrível algoz dessa história. As vítimas são mulheres. Sempre prostitutas mortas num ritual macabro, cuja simbologia o próprio Jack faz questão de explicar para seu cocheiro, enquanto celebra os obeliscos ditos fálicos de sua cidade, numa sequência de tirar o fôlego. Para Jack, no auge de sua paranóia, o feminino é uma ameaça ao poder do macho, enquanto fundamento da sociedade. Para afastar o perigo de dissolução dos valores patriarcais, o médico particular da rainha, inicia uma série de assassinatos, retalhando mulheres, arrancando seus órgãos, com precisão cirúrgica, e os organizando de acordo com sua crença. Minissérie em 4 Edições reunidas em 1 Link.